28 de mar de 2012

O símbolo Edmundo



Hoje, 28 de março, é o dia em que Edmundo se despede do futebol vestindo a camisa 10 do Vasco. Na verdade, o Edmundo se aposentou no dia 07 de dezembro de 2008, data em que o Vasco foi rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Dizem que o jogo de hoje é "apenas" simbólico, como se isso fosse pouco. Aliás, reside aí um dos porquês do jogo pintado de cinza - e recheado de estatísticas como assistências e distância percorrida no campo, em que se transformou o futebol. O que há de mais importante no jogo de bola do que sua simbologia?

O Edmundo que se despede hoje ganhou "só um título de expressão" com a camisa do Vasco, é o mesmo que balançou os bagos para a Força Jovem quando jogava no Flamengo, perdeu o penalti mais importante da história do Vasco, é o mesmíssimo jogador que já vi abandonar o campo com raiva do time em uma partida contra o Santos em São Januário. Objetivamente teríamos motivos de sobra para odiá-lo, mas não, Edmundo é amado pela torcida do Vasco. E a resposta é simbólica: a torcida do Vasco se via no jogo do Edmundo. Os jovens sentiam-se representados por sua rebeldia imatura, os pais, tios e avós gostavam de dividir o afeto ora destinado a filhos, sobrinhos e netos, perdoando cada nova explosão de mimo ou raiva do Edmundo, temperamental.

Símbolo desse futebol anárquico, o último amador. Infelizmente, esta espécie não tem mais vez no mundo do futebol, mas se mantém intacta no coração dos torcedores.

Ahh é Edmundo!