24 de mar de 2006

Santo de casa

Um simples caseiro elevado à condição de principal atração de um circo em chamas. Protótipo e estereótipo, de herói nacional.
Na verdade, entregue aos leões ou à própria sorte. Exposto como prova irrefutável de um crime. Dono de uma dignidade posta à prova, na calada da noite, por um Brasil que se proclama de todos.
Prova irrefutável mesmo, de como políticos costumam tratar o povo.

Nenhum comentário: