31 de dez de 2009

Retroperspectiva 2009/2010 - A crônica do noticiário

Para determinadas realidades, a melhor maneira de começar a explicar 2009 é começando por 2010. Em João Pessoa, por exemplo, dois aliados de ocasião travam um embate eleitoral tão intenso que as partes não conseguiram segurar a expectativa e marcaram o início de suas campanhas para a noite de réveillon nas duas principais praias da cidade. Nas Minas Gerais, o sobrinho de Tancredo manda avisar que não quer mais o lugar do filho do Brasil. A Casas Bahia agora é do Pão de Açúcar, a Perdigão é da Sadia e o mensalão do Dem.

No mundo não teve acordo, a COP15 acabou cheia de boas intenções e o inferno na terra garantiu quorum permanente. Obama ganhou o Nobel da paz no mesmo ano em que mandou mais soldados ao Afeganistão e só sossegou quando se certificou de que Kanye West não compareceria ao discurso de agradecimento em Oslo.

Confuso diante de tantos tacos, bolas e buracos, Tiger Woods pulou a cerca. Roger Federer casou, chegou a final de 4 Grand Slams, ganhou 2 e teve gêmeas, enquanto isso no Flamengo, Adriano faltou a um treino para fazer vasectomia.

No ano das redes sociais Michael Jackson morreu antes no twitter, soubemos que Sacha foi alfabetizada em Inglês ao dizer que faria uma “sena com uma cobra” e na Paraíba, Maranhão determinou: –“Twitter é coisa de desocupado”.

No Rio, o tráfico derrubou helicóptero, em São Paulo fecharam o cerco aos fumantes e a Cracolândia virou franquia com unidades espalhadas por todo o Brasil.
Para, supostamente, salvar o erotismo Fernanda Young desfilou sua inteligência nas páginas de Playboy, tempos depois Leila Lopes cometeu suicídio.

O mesmo Supremo que lavou as mãos como Pilatos no caso Batisti, se inspirou em Salomão para decidir o caso do garoto Sean, o pai – data venia, já avisou que quer as custas processuais de volta.

Em 2009 coisas improváveis aconteceram: a General Motors pediu concordata, Susan Boyle emocionou o mundo, o Flamengo foi campeão brasileiro e – imaginem, quase deu pro Rubinho na Fórmula 1.

No ano em que descobriram os atos secretos, Lombardi morreu, mas o bigode de Sarney continua imortal.
E isso é só o começo porque em 2010 tem eleição e copa do mundo no país do carnaval, não me diga mais quem é você porque amanhã tudo volta ao normal.

Feliz ano novo.

Nenhum comentário: